5 maneiras de gerar vendas no e-commerce usando o Facebook

5 maneiras de gerar vendas no e-commerce usando o Facebook

Loading Likes...

Como usuários do Facebook, todos nós já estamos acostumados a ver algumas propagandas no feed. Se você prestou atenção, deve ter percebido que os anúncios no Facebook não são apenas de grandes empresas, mas também de negócios pequenos e médios. Se prestou mais atenção ainda, talvez tenha percebido que o tipo de publicidade que aparece para você é diferente do que aparece para seus amigos.

Isso porque o Facebook cria um alcance personalizado para seus anúncios, o que aumenta as chances de interesse do público. Isso acontece com a ajuda da própria marca que está sendo veiculada, através de ferramentas integradas que ajudam a mapear os dados do público-alvo.

Esse é um dos motivos pelos quais os anúncios no Facebook realmente funcionam. O site Adweek já comprovou a eficácia dessa técnica de marketing com um estudo; chegaram a conclusão de que o retorno comum do investimento em Facebook Ads é de 152% no ecommerce. Nada mal, hein?

Então, você que tem uma loja virtual e está procurando meios de aumentar o número de vendas, já deveria estar considerando anunciar no Facebook. Entretanto, talvez você já tenha tentado e não deu muito certo. Afinal, o que aconteceu então, se para tantas outras empresas essa estratégia funciona tão bem?

Não esqueça de que o site é apenas um meio para chegar ao seu objetivo. Para que os anúncios funcionem, é preciso um esforço conjunto na criação do conteúdo com o Facebook, para que ele não só alcance muitas pessoas, mas que seja interessante o suficiente para que as pessoas realmente cliquem. Veja algumas dicas de como deixar seus anúncios atraentes e, consequentemente, gerar vendas em sua loja:

Defina o seu público-alvo

É claro que você quer o maior número de pessoas adquirindo seus produtos, mas nada é vendido da mesma forma para todo mundo. Se você trabalha com produtos de maquiagem, por exemplo, seu maior público será composto de mulheres. Se seus produtos são infantis, você precisa alcançar os pais das crianças, que se encaixarão em uma faixa etária mais elevada.

Analise seu e-commerce e veja bem quem se atrai por ele. Com essas informações em mãos, você não só vai informar o Facebook desses dados, como também avisará sua equipe de criação. As propagandas devem ser elaboradas com base nesse público-alvo, relacionarem-se com ele e não soarem genéricas. Só não esqueça, claro, de alinhar também o conteúdo com o valor e a visão da empresa.

 

 

Evite cliques de curiosidade

Por mais tentador que possa parecer, por gerar mais cliques, não adianta muito na prática que os anúncios não estejam com todas as informações. O preço, as condições de pagamento ou de envio são exemplos de esclarecimentos que podem ser expostos desde o começo. Isso evitará uma grande quantidade de cliques que não se transformarão em vendas, e aproximará o anúncio de quem está realmente disposto a conhecer o produto com todas as suas condições.

 

 

Incentive o acesso

Ainda que você queira evitar os curiosos, é claro que alguma coisa precisa chamar a atenção – mais do que o preço ou qualquer outra informação. Algumas palavras específicas costumam funcionar bem, como “barato”, “novo”, “menor [preço]” ou “grátis”. O senso de urgência também é uma boa ideia, como promoções de tempo limitado ou avisos de “últimas peças”.

 

 

Capriche nas imagens

Anúncios com imagens são os melhores, definitivamente. O olho humano se atrai primeiro para a imagem de um post em quase todas as situações, e ela dará o tom da publicidade. Por isso, é muito importante que as fotos usadas não sejam genéricas demais ou não mostrem o produto anunciado claramente.

Para garantir uma boa imagem em anúncios de Facebook, reúna esses pontos: mostre o produto, só use arquivos com boa qualidade, deixe a imagem limpa, e mostre os elementos da foto na ordem em que devem ser vistos pelo leitor.

 

 

Use o AIDA

AIDA é a nomenclatura de um modelo de texto que serve para aumentar o engajamento do público. Ele significa Atenção, Interesse, Desejo e Ação, e narra basicamente o processo pelo qual o cliente deve passar ao ver o anúncio. Facebook Ads vêm com limite de caracteres, então o modelo é ótimo para checar se os leitores realmente conhecerão todos esses passos.

 

 

Compras na internet. Como não trocar gato por lebre!

Compras na internet. Como não trocar gato por lebre!

Loading Likes...

Que o mercado de compras online está ‘bombando’ todo mundo já sabe. Basta ver as notícias de jornal ou mesmo os comentários numa roda de amigos. Todo mundo fala disso! Se num é alguém que comprou uma ótima oferta num site de compra coletiva, é um amigo dizendo sobre as grandes vantagens que conseguiu ao comprar um produto da China.

O que a maioria não sabe é como se precaver de possíveis problemas ao comprar estes produtos em lojas de ecommerce. E realmente estes problemas existem e vão existir cada vez mais à medida que o mercado cresce.

Isso é uma realidade ano após ano desde os primórdios da internet e desde que se iniciou um movimento para maior segurança na web. A verdade é que hoje em dia, a maioria dos usuários de internet não tem medo de comprar, o problema agora é frear essa compra e fazer um pedido no carrinho de forma consciente, sem dores de cabeça.

No ano de 2013 o mercado de comércio eletrônico fechou o relatório com 28% a mais de pedidos fechados do que o ano de 2012. Foram comercializados mais de R$ 28 bilhões no último ano onde a expectativa de crescimento era de apenas 25%. (mais…)

Nova lei de e-commerce no Brasil não é cumprida por lojas virtuais

Loading Likes...

Apesar de já ter quase 3 meses, apenas 7% das empresas cumprem de fato a lei do e-commerce, revela pesquisa realizada pelo IBRC (Instituto Ibero Brasileiro de Relacionamento com o Cliente).

De acordo com o levantamento, apenas duas empresas tiveram mais de 90% de cumprimento de todas as leis ( foram avaliados 30 sites das categorias loja virtual, turismo, entretenimento, aviação civil, transportes terrestres e compras coletivas e observou diversos itens relacionados à lei ).

Outras 23% tiveram cumprimento conforme, de 80 a 89%, enquanto 70% dos avaliados tiveram cumprimento não conforme, menos de 80%.
Dentre os setores, o de aviação civil é o que menos cumpre a lei, apenas 59%, sendo que, na média, os setores que mais cumprem a lei, cumprem na média 75% da lei, o que já está na faixa de não conformidade.

A Lei

A nova Lei do Comércio Eletrônico está em vigor desde o dia 13 de maio. Entre as obrigações, os sites devem deixar todas as informações claras sobre vendas pela internet, assim como disponibilizar em local de destaque as informações básicas sobre as empresas, como o nome, endereço, CNPJ ou CPF, entre outras. As empresas também devem ter canais de atendimento adequados para os consumidores que tiverem dúvidas ou buscarem mais informações.

Outra mudança é que os sites de compras coletivas precisam informar o status da oferta. Sendo assim, se torna obrigatório constar a quantidade mínima de consumidores para efetivação do contrato, junto com o prazo máximo para a compra do serviço ou produto.

 

Fonte: E-commerce Brasil

E-commerce: Faturamento em 2009 chegará a R$ 10,5 bilhões

E-commerce: Faturamento em 2009 chegará a R$ 10,5 bilhões

Loading Likes...

Foi realizado ontem, dia 30 de setembro, em São Paulo, o Seminário e-commerce para Pequenas e Médias Empresas. Especialistas que estiveram neste evento prevêem fechar o ano de 2009 com um faturamento de R$ 10,5 bilhões e mais 4 milhões de novos e-consumidores.

A facilidade da Classe C em adquirir cartões de crédito nos últimos anos foi essencial para que pudessem participar efetivamente nestes números, segundo aponta Sandra Turchi, superintendente de Marketing da ACSP.

(mais…)

Como tornar sua loja uma campeã de vendas

Loading Likes...

O mercado de e-commerce no Brasil está bem aquecido e novas operações surgem em velocidade espantosa, aumentando a concorrência. Para seguir sendo competitivo neste cenário, seguem aqui algumas dicas para aumentar sua proatividade e conseguir seus objetivos.

Parta para a ação.
Você precisa arranjar um meio de chamar a atenção de seus consumidores, para que realmente eles fiquem conscientes da existência de seu produto ou serviço. Promova sua loja em redes sociais e comunidades de aficcionados sobre seu produto. Desta forma, as chances de você conseguir um público interessado e fiel sobem bastante.

Venda seu produto – mas sem apelos irreais.
Num ambiente tão dinâmico, você precisa provar o valor de cada centavo pago por seu produto ou serviço. Então, seja didático e desfie todas as razões pelas quais seus prospects 2.0 precisam comprar seu produto. Nada é óbvio ou fica subentendido quando se fala em vendas. Seja didático, e não aumente nem invente qualidades. Honestidade e clareza valem ouro, muito mais do que retórica.

(mais…)

E-commerce atrai 66% dos internautas brasileiros

Loading Likes...

Em julho, mais de 66% dos 25 milhões de usuários de internet no Brasil acessaram sites relacionados a comércio eletrônico. Os dados são provenientes da comScore, empresa de medição digital.

A comScore registrou 10,1 milhões de visitantes únicos no MercadoLivre.com.br, 4,8 milhões no BuscaPé e 4,6 milhões no Submarino, em julho de 2008. O Shoptime.com.br, com 1,3 milhão de visitantes únicos, teve o maior tempo de navegação, média de 6,8 minutos por visita.

Alex Banks, diretor da comScore para América Latina, infere que a internet está ganhando importância entre os brasileiros como instrumento de consulta de preços, já que muitos dos sites mais acessados incluem uma funcionalidade de comparação de valores.

O maior interesse dos brasileiros que visitam sites de comércio eletrônico está na categoria de eletrônicos domésticos, seguida pela de livros e brinquedos.

A comScore considera em sua análise o universo de pessoas maiores de 15 anos de idade que acessa a web de casa ou do trabalho, cerca de 25 milhões de pessoas. Considerando o acesso de qualquer lugar, a empresa calulca mais de 56 milhões. O Ibope/NetRatings, que faz a medição mensal da internet brasileira, estima em quase 23 milhões o número de usuários residenciais, e aponta mais de 40 milhões com possibilidade de entrar na rede a partir de qualquer ponto.

Fonte: IT Web